A Melhor Hora para Se Desenvolver


Nesta minha caminhada de trabalho com desenvolvimento humano pude acompanhar profissionais nas mais diversas fases. Sempre que encontro um novo possível cliente, gosto de marcar um café para que possamos conversar e alinhar expectativas. Esse momento é importante para esclarecer as formas com as quais posso apoiá-lo, para que ele entenda se o que eu tenho para oferecer vai ao encontro do que ele busca no momento atual.

É muito comum que nesta primeira conversa o cliente me pergunte o seguinte: “Rodrigo, você acha que este é o melhor momento para que eu faça este investimento?”. Minha resposta para essa pergunta costuma ser que não existe uma melhor hora.

 

Todo momento é o ideal para se iniciar um processo de desenvolvimento.

O que pode acontecer é o tema a ser abordado e os objetivos a serem trabalhados variarem de acordo com a demanda atual, porém é sempre tempo de buscar novas respostas e se aprimorar.

 

Continuo concordando com isso e defendendo este ponto destacado acima, mas percebo que muitas pessoas buscam aprimorar-se somente quando surge uma crise. Se pararmos para pensar sobre isso, podemos chegar à conclusão que estas situações trazem uma necessidade para que um aprimoramento aconteça, mas junto com essa necessidade, podem estar presentes estados emocionais negativos que não colaboram para o sucesso do trabalho.

Por conta disso, tenho pensado que existem momentos em nossa vida onde todo e qualquer desenvolvimento é favorecido: quando estamos bem! Veja que essa questão é subjetiva, pois envolve um sentimento muito pessoal, mas quando estamos nos sentindo bem, temos maior chance de ver os pontos importantes com mais clareza e tranquilidade.

Dessa forma, é possível aprofundar algumas questões relevantes com um estado emocional positivo e traçar estratégias com mais qualidade. O problema é que existe um paradigma que diz: “em time que está ganhando não se mexe”. Será mesmo?

Acredito que esta seja a melhor hora para mexer e fazer com que este “time” se desenvolva ainda mais ou, no mínimo, mantenha sua alta performance com consistência.

E então, qual é a sua melhor hora para se desenvolver?

Originalmente publicado em Outubro/2014 na Coluna Comportamento da ACIC