Eu Ganho, Tu Ganhas, Nós Ganhamos!


Não é de hoje que o pensamento “ganha, ganha” faz parte do nosso mundo. Diversos estudiosos, de Napoleon Hill a Stephen Covey, já escreveram sobre a importância de pensar nos interesses do outro de forma que o ganho não seja unilateral.

Algumas pessoas e empresas aplicam consistentemente essa regra, mas outras não e eu percebo que no caso destas o resultado imediato pode até ser expressivo, porém no longo prazo as primeiras se mostram mais eficazes.

Isso acontece porque vivemos em mundo conectado, não só pela tecnologia, mas por um sistema de seres humanos e deve existir uma troca justa para que se mantenha o equilíbrio do mesmo. Ao refletir sobre isso, lhe convido a se perguntar duas coisas:

Faz sentido para mim, pensar que o outro também deve ganhar e que não deveria existir um perdedor?

Se isto faz sentido, o que leva as pessoas a agirem de forma diferente?

Acredito que a resposta para a segunda pergunta tem a ver com um grande paradigma que acompanha a humanidade há tempos: o paradigma da escassez. Ele nos diz que sempre existe o risco de nos faltar algo e por conta disso temos que nos proteger e acumular o quanto pudermos, seja dinheiro, comida, água, entre outros recursos. Enquanto alguns conseguem fazer isso, outros acabam ficando com pouco ou quase nada.

 

Utilizar o pensamento “ganha, ganha”, de certa forma, quebra esse paradigma, pois faz com que consideremos as necessidades dos outros, o que já é ótimo.

 

Todavia, podemos aprofundar um pouco mais, bebendo de um conceito simples utilizado em projetos Dragon Dreaming que diz que para que possamos fazer algo, este algo precisa ser bom para nós, bom para o outro e bom para todos. Perceba que evoluímos para um conceito “ganha, ganha, ganha” e quando aplicado, além dos benefícios não serem unilaterais, eles passam a ser multilaterais, atingindo pessoas, empresas e comunidades que talvez nós nem conheçamos, pois é algo bom para o todo o sistema.

Com isso, substituímos de vez o paradigma da escassez pelo paradigma da abundância, onde cada um tem a intenção de se responsabilizar pelo objetivo coletivo, alcançando resultados que sejam além de expressivos, sustentáveis!

De que formas você pode praticar o conceito “ganha, ganha, ganha” em sua vida, começando ainda hoje?

Originalmente publicado em Novembro/2014 no Mural do Coach