Se Você Não Tivesse Medo


Em minhas palestras e workshops sobre inteligência emocional vejo que, constantemente, pessoas escolhem situações de medo para analisar e traçar estratégias que as impulsionem a lidar com essa questão. Isso porque o medo, quando mal direcionado, nos paralisa e faz com que nossa imaginação nos leve a estados emocionais extremamente impactantes. É só uma questão de tempo para que um medo pequeno evolua para uma sensação de grande terror.

Considero importante ressaltar que o medo é uma emoção básica, ou seja, todos nós, em algum momento de nossas vidas, já sentimos medo. Podemos também assumir como verdade que iremos voltar a sentir mas, ao invés de reagirmos quando ele aparecer (repetindo nossos velhos padrões), podemos escolher agir e criar situações novas, diferentes, com novos resultados.

 

A aplicação dessa nova forma de pensar pode ser muito produtiva no que diz respeito aos nossos projetos pessoais e profissionais,

pois o medo de avançar muitas vezes nos paralisa!

 

Um primeiro passo para conseguirmos caminhar nesta nova direção é mudarmos nosso foco. Quando estamos com medo, é natural que nossa atenção fique voltada àquilo que tememos, porém isso não nos leva para uma solução. Precisamos voltar nossos pensamentos para o que realmente queremos atingir, para então identificar o que precisa ser feito.

Um amigo meu, que também trabalha com treinamentos, sempre pergunta aos seus clientes o que estes fariam se não tivessem medo. Ao responder essa questão, podemos nos surpreender com a riqueza e a profundidade dos pontos que podem surgir.

Quando nos imaginamos sem medo, conseguimos pensar em coisas que até então pareciam impossíveis e por mais que nunca cheguemos a executar tais coisas, só o fato de pensarmos a respeito delas já nos fornece uma nova perspectiva em relação à situação.

Convido você a analisar os projetos de vida que você tem e estão parados por conta do medo que você sente em relação à ideia de realizá-los. Pense em tudo o que poderia ter acontecido e evoluído em sua vida se estes projetos já estivessem em andamento ou até mesmo concluídos. Talvez este seja o melhor momento para encontrar a coragem de se perguntar:

“Se você não tivesse medo, o que você faria agora para caminhar em direção aos seus objetivos?”

Originalmente publicado em Novembro/2014 na Coluna Comportamento da ACIC